Acessar o painel do aluno

MS tem nova NT 11 – Saídas de Emergência

Parte I

Nova NT 11

Em 03 de junho de 2019  passou a vigorar a nova Norma Técnica de Saídas de Emergência do  Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso do Sul, NT-11.

A nova NT 11 trás uma série de mudanças em relação à antiga (NT 11 de 09/05/2013) e de acordo com a PORTARIA CBMMS/DAT/N. 001/DAT/2019 o profissional responsável técnico que protocolar o Processo de Segurança Contra Incêndio e Pânico – PSCIP durante o período de 365 dias após a entrada em vigor da nova NT 11 (03/06/2019) poderá optar em utilizar a Norma Técnica anterior (DOEMS nº 8.429).

As principais novidades são  no projeto  das escadas de segurança que entre outras coisas agora passam a  prever área para PCD. Outras áreas sensíveis como as portas de saída também sofreram alterações.

Para evidenciar e exemplificar as as mudanças desenvolvemos uma série com três  artigos técnicos sobre a nova  Norma Técnica.

Para a perfeita compreensão das modificações separamos o assunto em 05 tópicos  de acordo com a NT 11, neste primeiro artigo abordaremos os tópicos 01 e 02 (procedimentos; cálculo da população):

 

1) PROCEDIMENTOS (NT-11 Item 5.2  “b” e “e”):

b. rotas de saídas horizontais, quando houver, e respectivas portas ou espaço livre exterior, nas edificações térreas ou no pavimento de saída/descarga das pessoas nas edificações com mais de um pavimento;

e. elevador de emergência.

O item 5.2 trata dos componentes das saídas de emergência. Na letra “b” foi acrescentado um texto equiparando as rotas de saída horizontais das edificações térreas ao pavimento de descarga das edificações elevadas (geralmente o térreo). Normalmente o projetista já fazia essa analogia ao dimensionar as rotas horizontais do pavimento de descarga.

Na letra “e” foi previsto o “Elevador de Emergência” como um componente das saídas de emergência.

 

2) CÁLCULO DA POPULAÇÃO (5.3  “b” e Notas da Tabela 1):

b. as áreas totais cobertas das edificações F-3 e F6, inclusive canchas e assemelhados, podendo ser excluída do cálculo a área destinada a
equipamentos, brinquedos, armários e similares que possuam característica de leiaute permanente;

Foi feita uma alteração importante na letra “b”, agora as edificações com ocupação com concentração de público Grupos F-3 (centros  esportivos e de exibição) e F-6 (Clubes sociais e de diversão) poderão excluir do cálculo populacional das áreas cobertas o que configurar leiaute permanente da edificação (Brinquedos, armários, equipamentos  e  outros).

Desta forma a população dessas edificações ficará mais “enxuta” e será mais próxima do número real, observe o exemplo para um “Salão de Festas Infantil” com 500m2 de área construída:

 

FIG. 01 

Anteriormente (NT antiga) a área considerada para o cálculo populacional (em verde) compreendia toda a área do salão infantil excluindo-se apenas a área dos sanitários.

Área F6  = 500m²

População F6 = 2pessoas/m2 = 500 x 2 = 1000 pessoas

População total da edificação (Fig 1) 1000 pessoas

Para o levantamento da área não se excluía dos cálculos o leiaute  permanente no caso os brinquedos e os armários.

 

 

 

 

 

 

 

 

FIG. 02 

Na nova NT-11 da área considerada para o cálculo populacional (em vermelho) é descontada á área ocupada pelo leiaute fixo.

Neste caso considerando-se a mesma área de 500m² e descontando-se 100m² do leiaute fixo (brinquedos e armários) teremos uma área de 400m² para o público.

População F6 = 2pessoas/m2 = 400 x 2 = 800 pessoas

População total da edificação (Fig 2): 800 pessoas

Para o levantamento da área o item 5.3 permite a exclusão dos cálculos o leiaute  permanente.

 

 

 

 

 

 

 

 

Notas Específicas Tabela 01:

“(N) para o cálculo da população, será admitido o leiaute dos assentos permanentes do ambiente;”

Observe os exemplos para uma edificação com 500m2 de área construída (salão 400m²; área de apoio 100m²):

 

FIG. 03

Para calcular a população das edificações do Grupo F (Concentração de Público) a nova NT-11 permite que se use o leiaute de assentos fixos, uma evolução importante em relação  a interpretação da norma anterior que permitia esse cálculo somente se os assentos fossem de alvenaria ou chumbados.

Para o restaurante (F8) da figura além dos assentos deveremos também considerar a área de apoio  (vermelho) e de acordo com a Nota “G” adotaremos a classificação no Grupo D. Desta forma teremos: População F8  = 204 lugares (leiaute fixo) População D = 1pessoa/7m2 = 100²/7 = 15 pessoas

População total da edificação (Fig 3): F8 + D = 219 pessoas

 

 

 

“(P) para a ocupação “restaurante dançante” e “salão de festas” onde há mesas e cadeiras para refeição e pista de dança, o parâmetro para cálculo de população é de 1 pessoa por 0,67 m² de área;”

FIG. 4

Para o salão de festas (F6) da figura  adotaremos o prescrito na Nota “P” (01 pessoa/0,67m²)  deveremos também considerar a área de apoio  (vermelho) e de acordo com a Nota “G”  adotaremos a classificação no Grupo D, desta forma teremos:

População F6  = 400m²/0,67m²  = 597 pessoas

População D = 1pessoa/7m2 = 100²/7 = 15 pessoas

População total da edificação (Fig 4): F6 + D = 612 pessoas

A Norma Técnica antiga considerava para o salão de festas 2 pessoas/m² de área o que resultaria em uma população de 800 pessoas considerando 400m²  de área F-6. Com a  nova redação  o cálculo ficou mais próximo da realidade de  um salão que possui  mesas e pista de dança.

 

 

 

 

(Q) para os locais que possuam assento do tipo banco (assento comprido, para várias pessoas, com ou sem encosto) o parâmetro para cálculo de população é de 1 pessoa por 0,50 m linear, mediante apresentação de leiaute.

Observe os exemplos para uma Igreja com 500m2 de área construída (nave 400m² ; altar 100m²):

 

FIG.5 

Antes da nova NT 11 a área considerada para o cálculo populacional (em vermelho) compreendia toda a área da nave da Igreja excluindo-se apenas a área do altar (em branco) que é ocupada somente  pelo Padre ou Pastor.

Área F2  = 400m²

População F2 = 1pessoa/m2 = 500 x 1 = 400 pessoas

População = 400pessoas + Pastor/Padre

População total da edificação (Fig 5) 401 pessoas

 

 

 

 

 

 

 

 

FIG.6

Conforme a Nota “Q”, a partir da edição da nova NT 11, admite-se para o cálculo populacional de locais com assento tipo banco a adoção do comprimento linear dos bancos como parâmetro  de cálculo, desprezando-se a área:

Número de Bancos  = 32

Comprimento do Banco = 3m

Comprimento total = 96m

População F2 = 1pessoa/0,5m linear= 2pessoas/m x 96m = 192 pessoas

População = 192 pessoas + Pastor/Padre

População total da edificação (Fig 6) 193 pessoas

Neste caso adotando o novo parâmetro a população da Igreja reduziu-se a metade. Mas é importante lembra o disposto na Letra “a” (Notas Específicas  NT – 11):

“(A) os parâmetros dados nesta tabela são os mínimos aceitáveis para o cálculo da população (ver 5.3)”

O Responsável Técnico sempre poderá adotar populações mais conservadoras visando a melhoria da segurança. Em locais de concentração de público (grupo F) não é incomum acrescentar 20% na população total como fator de segurança.

 

Neste artigo apresentamos as modificações encontradas na nova NT 11 de Saídas de Emergências para o cálculo populacional.

Você pode adquirir a nova NT 11 direto do site do CBMMS  através do link:

http://sistemas.bombeiros.ms.gov.br/arquivos/dat/NT/NT%2011%20-%20SA%C3%8DDAS%20DE%20EMERG%C3%8ANCIA%20-%20%20Publicada%20em%2010-12-2018.pdf

Nos próximos artigos (Partes II e III) abordaremos os tópicos:

  • Dimensionamento de saídas
  • Distâncias máximas a serem percorridas
  • Portas de saída
  • Escadas

 

Antonio Moreira – Diretor de Operações

“Um Mundo Seguro é um Mundo Melhor”

30/08/2019

0 responses on "MS tem nova NT 11 - Saídas de Emergência"

Leave a Message

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *